domingo, 9 de março de 2008

lavras de desejos


Quero te sentir o tempo inteiro
Pelo faro, pelos poros,
Pela língua, pelo falo,
Pelos olhos.

Selo uma singela carta
Com beijos no recheio
E mando pelo Correio

Minha boca em palavras
São lavras de desejos,
Todos eles bem guardados
Sobre o morno travesseiro

Deserto em meus sentidos
Explodem miragens
e suspiros.

Fios percorridos
De suor
Umedecem a noite
Que reboa o pulsar
Do coração apreensivo

Ela me ligou cedo
No meio da semana
Aparou os versos
Em seus lábios
E disse que me ama.

[j. guedes]

2 comentários:

lu disse...

murmurios..
grunhidos de dengo.
;*

Belzinha disse...

Oiiii, meu queridoooo!
Adorei esse poemaaa!!! Simplesmente um encanto!
Vc sumiu, babe! Qquer dia desses eu ti ligo para avisar da "gafieira" (vc sempre c/ palavras poéticas! rsrsrs) lá naquele espaço.
Gosto de homens assim, que sabem dançar coladinho com sua dama. rsrsrs!
Kisses!!!