terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Prossigo a eito nas vicissitudes,
desdobrando sensações
e limando absurdos
com o esmeril da complacência
enquanto durar
o exílio da indignação.

[j. guedes]

2 comentários:

Julio Seidenthal disse...

As paredes de meu exílio por força de minha indignação, já duram um metro de impaciência irritadiça na verbalização deste caos que é o erotismo de consumo, ordenado e fácil, mas com minha literatura de esmeril, ei de forjá-la ao ar o ferro. li e desabafei.

luiza disse...

Gosto de seus títulos, e esse poema não tem... :(