terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

luminância

Cerro meus olhos
e na vastidão rubra
o seu capitoso sorriso
desenha-se suavemente,
como a ilharga luminosa
de uma lua crescente
no meio da escuridão do céu,
enfeitando a monotonia
de um espaço baldio.

[j. guedes]

Um comentário:

Fah disse...

lindo-lindo!
vc é um grande poeta!