terça-feira, 27 de abril de 2010

fim de semana

Fim de semana
Sinta-se pronto
Há liberdade
Menos desconto
É só o começo
Da madrugada
Não se preocupe
Ninguém vai pra casa

Nas horas mortas
Velo meu tédio
Cavo loucuras
De homem médio
Rasgo o sereno
Perco os atalhos
O que mais procuro
Me chega a retalhos

Na despedida
O sol me carrega
Na carne abatida
O sono me pega
Acordo mais tarde
Tão diferente
Do que fui ontem
Cansado e contente.

[j. guedes]

3 comentários:

joao p. guedes disse...

Dedicada ao caro amigo Bulhosa, veterano da "magarefe madrugagem" dos finais de semana.

Felipe Muxfeldt disse...

Eita...!! Tá a cara dele, man!! rsrsrs

Aquele abraço... vamo botar uma melodia nisso aí!!!

Serginho Pink disse...

MENINO POETA... olha, você conseguiu traduzir bem o gênio do povo boêmio!

Essa poesia (ou letra de música?!?!) encaixa certinha na vida de um monte de gente, inclusive na minha! (Ai, eu me acho)

;)
Um beijo.